A toxoplasmose é uma zoonose, ou seja uma doença transmitida ao homem pelos animais. Ela tem sua origem no parasita toxoplasma, que pode estar presente em águas e alimentos contaminados.

Essa doença é bastante comum e se engana que a sua ocorrência é exclusividade do Brasil. Em países como a França, o número de casos supera o nosso.

O controle do parasita toxoplasma é muito complicado porque ele esta espalhado pelo ambiente. Qualquer pessoa já pode ter sido contaminada pelo toxoplasma e não fazer nem ideia, porque grande parte dos casos não apresenta sintomas nem complicações.

A preocupação em torno da toxoplasmose é que se uma mulher for contaminada durante a gravidez, a doença comprometerá o desenvolvimento do bebê. A toxoplasmose também é perigosa para pessoas com imunidade baixa.

A toxoplasmose e os gatos

Mas aonde os gatos entram nessa história toda??? Infelizmente, os nossos amados bichanos são os únicos hospedeiros definitivos, ou seja, apenas no intestino deles é que o parasita consegue se reproduzir. Mas como os gatos se tornam hospedeiros? Simples, ingerindo água e alimentos contaminados. Esses alimentos podem ser ratos e passarinhos que ingeriram água ou alimentos contaminados também.

Uma vez que o gato se torna hospedeiro, o parasita irá se reproduzir no seu intestino e ser eliminado em forma de oocistos no meio ambiente pelas fezes do gato. Depois de despejados no ambiente, os oocistos levam alguns dias para se tornarem infecciosos, e são extremamente resistentes, podendo se manter infectantes por até um ano e meio.

É importante salientar que o toxoplasma é adquirido pela alimentação, ou seja, somente por via oral é que o ser humano pode se contaminado pelo parasita. Os gatos não transmitem a doença, eles apenas favorecem o ciclo de reprodução do parasita e o eliminam através de suas fezes. Ou seja, uma pessoa só pode ser contaminada por um gato infectado se ingerir suas fezes contendo o parasita. Você come fezes de gato?? Ok. Conviver com o gato, fazer carinho nele, etc, não transmite a doença!!!

Lembrando que outra forma de contaminação humana por toxoplasmose é a ingestão de carne crua, mal passada. Sabe aquele churrasquinho pingando de sangue que a maioria dos gourmetizados curtem? Então… Caso uma pessoa se alimente da carne mal passada de um boi que teve toxoplasmose, por exemplo, ela pode se infectar.

Vamos explicar mais uma vez pra ficar tudo muito bem entendidinho: com exceção dos gatos, todos os outros animais e também os seres humanos, podem ser infectados pelo parasita da toxoplasmose, mas esse parasita não se reproduz em seu sistema digestivo e nem é eliminado pelas fezes, mas, o parasita fica presente no corpo desses animais até o fim de suas vidas.

É preciso evitar o contato com gatos?

Mil vezes não!!! Os gatos não são os causadores da toxoplasmose, assim como os macacos não são os causadores da febre amarela. Mas como o organismo dos nossos bigodinhos favorece a reprodução do parasita, os gatos se contaminam no ambiente e ao eliminar fezes, espalham a contaminação por onde passam.

O importante para evitar a propagação da doença é encontrar e descontaminar a fonte ambiental do parasita: o solo, uma fonte de água, etc. A maioria dos felinos se torna imune à doença após uma primeira contaminação. Por isso, é muita ignorância a população sair matando os gatos de rua quando ocorre um surto da doença.

As contaminações isoladas (quando não há surto) são a maioria dos casos. Para evitá-las, é preciso manter total higiene ao lidar com as fezes dos gatos, principalmente no caso de grávidas.

O Centers for Disease Control and Prevention (CDC), agência do Departamento de Saúde dos Estados Unidos, diz que grávidas não devem abrir mão de seus gatos, mas recomenda que evitem limpar a caixa de areia deles. Se isso não for possível, a dica é usar luvas descartáveis e lavar bem as mãos depois. A limpeza deve ser diária!

Como descobrir se meu gato tem toxoplasmose?

Somente através de um exame de sangue específico realizado pelo médico veterinário, é possível determinar se o seu gatinho está ou não com toxoplasmose. A análise de fezes não é recomendável pois não é determinante em todas as fases da doença. Observe se o seu bichano apresenta os sintomas a seguir:

  • Diarreia;
  • Defesas baixas;
  • Febre;
  • Falta de apetite;
  • Dificuldade para respirar;
  • Apatia.

Meu gato tem toxoplasmose. E agora?

Não se preocupe, o tratamento é simples. Se o resultado do exame de sangue for positivo, inicia-se tratamento com antibiótico durante duas semanas via parenteral ou oral, embora no geral se aplique a segunda opção.

Evitando a toxoplasmose em gatos

Não ofertar alimentos crus para o seu gato, permitindo que ela tenha uma dieta balanceada, baseada em produtos embalados, como a ração ou a comida úmida, fundamentais na alimentação do bichano.

Não permitir que o seu gato tenha acesso à rua. As famosas voltinhas, infelizmente, são um risco nos dias em que vivemos. Se for necessário, castre o seu gato e sua gata para que não tenham mais o ímpeto de sair.

O que mais deve ser feito para se prevenir?

Essa é a pergunta mais difícil. Por mais que se tenham todos os cuidados necessários, a gente nunca sabe qual é a real procedência dos vários alimentos e da água que consumimos. O que podemos fazer é tentar consumir alimentos com procedência, que tenham uma fiscalização.

Como o risco maior é para gestantes, a recomendação é que elas sim façam um controle rigoroso da alimentação, afinal, a toxoplasmose no começo da gravidez pode causar aborto. No decorrer da gestação, pode gerar sequelas permanentes no bebê, como retardo mental, alteração ocular e no desenvolvimento psicomotor.

Outro alerta: gestantes que já tiveram toxoplasmose antes da gravidez não estão totalmente livres do risco de pegar a doença de novo, porque há cepas diferentes. Por isso, todas devem se cuidar.

Já no caso de pessoas com imunidade baixa, a toxoplasmose pode afetar o sistema nervoso, coração, pulmão, fígado e provocar problemas nos olhos. O tratamento costuma ser feito com antiparasitários ou, dependendo do caso, antibióticos. As gestantes com a doença devem fazer um acompanhamento específico.

Por isso, os gatos não são o vilão dessa história. Todos estamos sujeitos a fatores externos e ambientais que favorecem e contribuem para a proliferação e contaminação da doença. Por ironia do destino, os gatos são os únicos animais cujo organismo favorece a reprodução do parasita, mas isso não quer dizer que eles transmitem a doença, mas sim que “devolvem” o parasita para o meio ambiente por meio de suas fezes.

Nos ajude a compartilhar conhecimento. O conhecimento e a verdade são as principais armas contra a ignorância. A equipe Cat Club agradece.

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...