tosar
Quando chega o verão, todos nós sentimos que a cada ano que passa, o calor vem ainda mais forte.
Com isso, nós, donos de gatos, ficamos imaginando o quanto viver embaixo de todo aquele pelo pode ser desconfortável nessa época do ano.
Muitos donos de gatos de pelo longo optam por tosar seus gatos, mas muita gente nunca ouviu falar que gatos sequer podiam ser tosados. Mas a resposta é SIM, a tosa de gatos é mais comum do que você pensa. Porém, exige MUITA cautela.
Muita gente nos pergunta se recomendamos que tosem seus gatos. A resposta é bem relativa, e nem sempre é a que a pessoa quer ouvir: Depende. De muitas coisas.
A primeira é: Tosar seu gato é REALMENTE necessário?
Nossa experiência pessoal com a tosa dos nossos persas é bem tranquila. Tyler e Marla desde filhotes são acostumados a tomar banho em casa, o que ajudou muito a ficarem tranquilos na hora de serem manuseados e tosados.
Além disso, Tyler e Marla vomitavam diariamente bolas de pelos, e sofrem muito com o calor no verão, pois moramos no Rio de Janeiro, em uma casa com quintal (devidamente telada), e eles não suportam ficar presos no quarto, por mais que tenha ar condicionado.
No começo, com medo de estressá-los levando-os ao petshop, tentamos tosar em casa, o que não deu certo, já que tosar um gato exige muita, muita habilidade e paciência. Não é a toa que esse tipo de serviço pode custar até 2x mais que a tosa de um cachorro. Inclusive, muitos petshops nem fazem esse serviço. Conversando com o tosador durante a última tosa dos nossos gatos, ele nos disse que o problema mais comum é que os profissionais acabam machucados, e que acontece algo ainda mais grave: muitos gatos se desesperam na hora da tosa e acabam FUGINDO. Isso mesmo, é mais comum do que se imagina. Por isso, lá vai a dica número 1:

1- Nunca, em hipótese alguma, deixe seu animal (seja ele gato ou cachorro) sozinho durante um banho ou tosa em um petshop. Inclusive, dê preferência à locais com estrutura de vidro, onde você consiga acompanhar toda o processo, e onde seu gato possa te ver, para que se sinta mais seguro e fique mais calmo. Se você notar que ele ficou mais agitado e estressado ao te ver, fique fora do raio de visão dele, mas fique de olho durante todo o processo.
Certifique-se também que o local escolhido é limpo e seguro, e que o profissional tem experiência na tosa de gatos. É importante também, caso o local também receba cachorros, marcar um horário onde não tenha nenhum cão, para evitar mais estresse ao seu gatinho.

2- Antes de tosar seu gato, consulte um veterinário e veja se realmente existe a necessidade de tosá-lo, avaliando principalmente a condição física e a personalidade do seu gato.
Nossos gatos são super calmos, não são ariscos, ficam tranquilos sendo manuseados por qualquer pessoa, e nós sabemos disso porque convivemos com eles. Por isso, CONHEÇA seu gato. Se você convive com ele, com certeza sabe das limitações e medos dele. JAMAIS submeta seu gato ao estresse de estar em um local desconhecido sendo manipulado por um estranho, se você souber que ele sofreria com isso. Claro que gato nenhum gosta de tomar banho, raros são os casos de gatos que curtem água, mas existe uma grande diferença entre NÃO GOSTAR e NÃO SUPORTAR. Observe seu gato e veja se ele apenas não gostaria ou se sofreria.
Gatos com problemas de saúde, principalmente cardíacos, também não devem ser tosados, a menos que o veterinário autorize.
O gato da minha mãe, o Oliver, é cardíaco e toma remédio pro coração 2x ao dia, porém, ele é acostumado desde filhote a tosar, e pra ele é algo super natural, ele gosta e não fica estressado, por isso o veterinário liberou a tosa, e nunca tivemos problemas. Mas é importante ressaltar: a decisão de tosá-lo foi tomada porque CONHECEMOS o gato, sabemos que ele fica tranquilo, que gosta, e que não se estressaria a ponto de comprometer sua saúde. Essa é uma decisão que deve ser tomada sempre junto ao veterinário.
Tosar somente por estética não é recomendado. A tosa deve ser feita por motivos de bem estar ou de saúde. E somente se o gato for de pelos longos. Gatos de pelos curtos não têm necessidade de serem tosados.

3- O ideal é nunca deixar os pelos do seu gato embolarem, quem tem gato de pelos longos tem que se comprometer a escová-los diariamente. A escovação é recomendada também para os gatos de pelos curtos, já que remove os pelos mortos e evita a formação das temidas bolas de pelo, que os gatos costumam vomitar após tomarem seus “banhos de língua”.
Além das bolas de pelo, tosar seu gato ajuda também a evitar o excesso de pelos soltos pela casa e a suportar melhor o calor. Muitos gatos, como é o caso dos nossos, ficam prostrados e tristes em dias muito quentes, quando estão muito peludos. Ao observar a reação deles, quando tosados, notamos uma grande diferença no comportamento. Após a tosa, eles passam a ficar muito mais ativos e brincalhões e as bolas de pelo diminuem consideravelmente. Por isso decidimos tosar pelo menos 2 ou 3 vezes por ano, nas épocas mais quentes.
Mas, existem casos em que é o contrário, o gato passa a ficar triste e deprimido depois de ser tosado, o que certamente indica que você não deve tosá-lo novamente. CONHECER as limitações do seu gato é fundamental aqui.

4- Outro problema comum com gatos de pelos longos, é que muitos se sujam ao fazer as necessidades, ficando com fezes grudadas nos pelos. O que não é muito higiênico para gatos que vivem em casas e sobem na cama, no travesseiro, no colo do dono…Então, uma solução é a tosa higiênica, que consiste em tirar apenas os pelos da barriga e da região perianal. Dessa forma, evita-se que se sujem e espalhem surpresinhas por aí.
Mas, mais uma vez, consulte um veterinário de confiança antes de fazer esse tipo de tosa, ainda mais porque é um procedimento mais delicado, e precisa ser feito por um bom profissional.
Analise a real necessidade, e se não existe outra alternativa menos estressante além da tosa.

Detalhes importantes na hora da tosa:

Bigodes: os bigodes de um gato NUNCA podem ser cortados, fique de olho!
Os pelos da cabeça não devem ser raspados com a máquina, somente aparados com a tesoura e MUITO delicadamente, tomando muito cuidado com os bigodes e os pelos sensoriais, que também ficam em cima dos olhos. Um gato com os bigodes cortados pode ficar desorientado, perder o equilíbrio ou ter dificuldade em andar ou correr.
Os bigodes do gato, em conjunto com os outros pêlos sensores, são antenas altamente sensíveis e podem detectar o toque ou a mínima presença. Até a corrente de ar em uma ranhura na parede, nunca descoberta por nós, pode ser detectada.
Eles estão repletos de nervos e podem detectar o mais leve movimento. Os gatos que perambulam pela noite e os que têm problemas de visão, usam-nos para “ver” por onde andam, permitindo-lhes manobrar em espaços estreitos e avaliar distâncias.
Bigodes cortados geralmente voltam a crescer, mas com certeza será muito doloroso pro seu gato. É preciso evitar qualquer tipo de sofrimento, certo?

Rabo: O rabo pode ser aparado, mas NUNCA pode ser completamente tosado, precisa ficar mais peludo, e assim como a cabeça, não deve ter tosado com a máquina. Gatos que têm o rabo completamente tosado podem começar a se automutilar, perseguindo e mordendo o próprio rabo.

Corte de unhas: As unhas dos gatos possuem vasos sanguíneos na sua base. Não se deve aparar muito próximo a esses vasos devido à chance de sangramentos e dor.
Somente as pontinhas devem ser cortadas: é mais fácil ver quando as unhas têm uma coloração clara.

Cheiro: Se você tem outros gatos em casa, evite que durante a tosa seja usado perfume em seu gato. Dessa forma, a chance dos outros gatos estranharem o gato tosado é um pouco menor. É bem comum isso acontecer. Muitos gatos chegam a brigar por dias, pois os que ficaram em casa acabam não reconhecendo o gato tosado, que volta com um cheiro completamente diferente, que pode demorar dias para sair, ou para ser substituído novamente pelo cheiro familiar para os outros gatos.

Sedativos: Qualquer tipo de medicamento deve ser administrado diante de extrema NECESSIDADE, e por um profissional. Principalmente quando se trata de sedativos. Quando estamos falando de gatos saudáveis, sinceramente, será que vale a pena sedar o seu gato para tosá-lo?
Algumas pessoas são a favor, para evitar o estresse causado pelo processo. Mas, na opinião de muitos veterinários, não vale a pena o risco. Nunca se sabe quando seu animal terá alguma reação ao sedativo, e qualquer tipo de medicamento pode causar efeitos inesperados. Pense bem e consulte um veterinário antes de qualquer coisa.

Por aqui, para gatos que nunca tosaram, já são adultos e não estão acostumados, costumamos aconselhar: Tosar, só em últimas circunstâncias ou se você seguiu a dica principal: CONHECER o seu gato. Somente se o pelo estiver muito, muito embolado, se o gato estiver tendo muito problema com bolas de pelo ou se estiver sentindo muito calor. Ou claro: se ele se sentir confortável com a tosa.
Qualquer tipo de intervenção na natureza de um animal deve ser feita com muito cuidado, sempre respeitando a personalidade e a natureza de cada um, sem causar dor ou estresse desnecessário.

A natureza os fez perfeitos. A gente que vive tentando melhorar a vida deles aqui ou ali, né?

ATENÇÃO: Este post é baseado na nossa experiência pessoal com a Tosa, sobre o que aprendemos e vivemos com os nossos próprios gatos. Consulte SEMPRE um veterinário antes de qualquer coisa. Depois de você, ele é o melhor amigo do seu animal.

Vamos ao antes e depois do Tyler:
tyler

E da Marla:
marla

ty2

ty3

ma

ma2

Durante a tosa:
rosa

Onde tosamos? (Rio de Janeiro)

– Cobasi Barra (http://www.cobasi.com.br), com a tosadora Thaís.
– Xanadu (http://www.veterinariaxanadu.com.br).

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...