O hábito de lamber-se faz parte do modo de vida dos gatos. É por meio da língua que eles se higienizam e “escovam” sua pelagem – os espinhos nas línguas dos gatos promovem uma espécie de escovação que vai retirando as células mortas e o excesso de pelos soltos.

Acontece que em muitos casos, a lambedura nos gatos passa de um hábito saudável e normal para um comportamento excessivamente crônico, a ponto de provocar queda da pelagem e feridas de pele do gatinho.

Geralmente, os donos só percebem que algo está errado quando notam falhas na pelagem do gato, ou quando surgem as primeiras feridas cutâneas.

Esse comportamento obsessivo-compulsivo dos gatos também é conhecido por Alopecia Psicogênica ou Lambedura por Estresse e precisa ser tratado o mais rápido possível.

Mas por quê isso acontece com os gatos? É muito simples: O ato de se limpar e lamber o pelo é uma atividade extremamente prazerosa e faz parte do comportamento diário de um gato normal e tranquilo. Quando o gato torna-se estressado, ele tende a se acalmar buscando uma atividade relaxante como essa, e acaba fazendo isso compulsivamente. 

Este comportamento pode assumir desde a forma de uma simples lambedura compulsiva, até o arrancamento do pelo em tufos. As áreas mais comumente afetadas são o interior das coxas, abdômen (barriga) nas costas, laterais da barriga e na virilha.

Uma simples mudança do ambiente do gato, como novo membro da família ou outro animal na casa, mesmo sendo um gato, mudança de casa, mudança de empregado ou mesmo da rotina da família, pode causar um certo estresse no gato e fazer com que comece a desenvolver esse comportamento.

Por isso, leve o seu gato ao veterinário. É importante descartar uma doença para a perda de pelo e aparente coceira como sarnas, fungos, alergias, infestação por pulgas, infecções de pele e mesmo algumas doenças hormonais.

Descartadas todas as causas de alergia, inclusive de alergia alimentar, temos que encontrar a causa do estresse e eliminar na medida do possível. Esta medida pode nem sempre ser possível. Muitas vezes a fonte de estresse já foi removida, mas o gato já adquiriu um comportamento compulsivo que faça com que ele continue se mutilando.

Temos que manter a rotina do gato o mais próximo da normalidade verificando se ele tem se alimentado normalmente, se continua brincando e se exercitando, ficando menos tempo ocioso.

Se você vê o seu gato desenvolver esse comportamento na sua frente procure não puni-lo ou dar uma recompensa, apenas desvie a atenção dele. A recompensa ou mesmo a punição, pode ser para o gato, uma forma de chamar a sua atenção e assim poderá continuar a fazer isso, somente para tê-lo por perto.

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...