Um cara sábio, chamado Mark Twain, uma vez disse: Se fosse possível cruzar o homem com o gato, melhoraria o homem, mas pioraria o gato.
Eu queria ter sido esse cara e ter dito essa frase, porque ele sabia exatamente do que estava falando.
Os gatos são criaturas que escolheram viver entre nós, homens, com a intenção de nos ajudar a nos aproximar da nossa essência, de nos lembrar de quem realmente somos e das nossas responsabilidades para conosco e com todos os outros seres vivos.

Existe uma história sobre o início dos tempos, que conta que existia um fogo do conselho, onde todos os seres vivos, de todas as espécies e raças se reuniam para compartilhar seus aprendizados, suas desocbertas, suas evoluções e dificuldades. E todos participavam e colaboravam, com igualdade absoluta.
Peixes, animais selvagens, plantas, seres humanos, todos se reuniam ali, eram tratados como semelhantes e viviam em perfeita harmonia.
Mas então, um dia, o ser humano não apareceu.
Nem no dia seguinte.
Nem no outro.
E todos começaram a se preocupar, mas o pior havia acontecido: O homem havia se perdido em seu ego e individualismo, passou a se sentir superior e a achar que não precisava mais dos outros seres vivos. E por isso, se afastou e passou a conviver apenas com os da mesma espécie.
Então, diante daquela situação preocupante, 3 espécies decidiram deixar o fogo do conselho e passar a viver entre os homens, apenas para aproximá-los de sua origem e tentar fazer com que se lembrassem de quem realmente eram, enquanto eles se perdiam cada vez mais dentro de si mesmos e de suas perturbações humanas.
Esses animais foram o Gato, o Cachorro e o Cavalo.
E até hoje eles permanecem ao nosso lado, tentando, a todo custo, nos levar de volta àqueles tempos em que éramos todos iguais e nos importávamos igualmente com todo e qualquer ser vivo.

Eu acredito muito nessa história, porque sinto essa ligação. E se você se esforçar um pouquinho, e parar pra prestar atenção no comportamento dos animais, vai perceber que eles realmente estão na nossa vida por esse exato motivo, nos ensinar a dar importância às coisas que realmente importam.
Cachorros são seres de amor incondicional. Eles te amam de graça, sem esperar nada em troca. Nunca vai existir outro animal no mundo que vá te amar tanto quanto um cachorro. E ele nos ensina isso, a amar o próximo sem esperar algo em troca, a amar de graça, sem pretensões. A ter entusiasmo, a viver com intensidade. Os cachorros são um caso à parte, e o meu amor por eles é tão grande quanto pelos gatos. Mas, como estou vivendo a minha fase gato no momento, este post é para contar o que eu aprendi com eles: meus amáveis, sensíveis e geniais gatos.

7-1
pataQuem convive com gatos, sabe o incrível poder que eles tem de meditar, de não fazer nada, de permanecer simplesmente imóvel por horas e horas, fitando o horizonte e limpando a mente. Essa, talvez, seja a coisa mais importante que eles podem nos ensinar: meditar.
Vivemos em um mundo que não pára. A todo segundo estamos correndo, trabalhando, comendo, gritando…E o tempo livre que temos, ao invés de usarmos para esvaziar a mente e relaxar, ficamos deitados no sofá com as pernas pro alto dando F5 no Facebook pelo Celular. Essa é a nossa ideia de não fazer nada. E está errada.

7-2
pataGatos não fazem nada com pressa. Se eles entram em um novo ambiente, cheiram cada centímetro, reconhecem todo o território com calma e paciência, andam vagarosa e cuidadosamente por todo o lugar até se acostumarem. Se vão comer, cheiram a comida várias vezes, e comem com calma e total atenção. E quando você chega em casa, e ele vem te receber? Se fosse um cachorro, certamente ele já estaria se jogando em cima de você e lambendo sua cara, mas não o gato. O gato vem devagar. Vem esfregando o rabo pelos cantos da casa, e cuidadosamente se joga em seus pés com a barriga pra cima como quem diz “Oi, que bom te ver. Trouxe biscoitos?”

7-3
pataUm gato pode te amar loucamente, morrer de saudades, dormir com você, te seguir na hora do banho, e até lamber os seus cabelos.
Mas ele sempre vai se amar mais que tudo.
Gatos, desde sempre, já têm essa fama de serem egoístas, egocêntricos. De não se prenderem emocionalmente às pessoas e serem traiçoeiros.
Mas não é exatamente assim.
Gatos, em sua maioria (digo isso porque existem, como sempre, as exceções e os gatos pseudo-cachorros) são animais independentes. Eles podem viver bem por longos períodos de tempo sem a sua companhia. Podem não sentir a sua falta durante aquela madrugada que você passou fora com o coração na mão por tê-lo deixado sozinho.
Gatos são assim. Eles não NECESSITAM de você. Não têm essa dependência que é uma das nossas mais marcantes características. Nós temos essa tendência a nos apegar tanto à coisas e pessoas, que passamos a precisar delas para viver. Os gatos sabem que isso é bobagem, eles sabem que não precisam de você pra viver. E saber que ainda assim eles decidem ficar com a gente, é um privilégio e tanto.

7-4
pataNunca conheci nenhum animal mais sincero que um gato. Eles não estão aqui para te agradar. Eles não precisam disso.
Se ele estiver a fim de um carinho, vão pular no seu colo. Quando cansarem, vão te virar as costas na maior cara dura e vão embora. Se não estiverem com fome, vão ignorar aquele sachê maravilhoso que você comprou todo feliz só pra ele. Se não curtirem a nova casinha caríssima que você comprou, vão dormir dentro da caixa de papelão em que ela veio.
Eles não vão fingir nada apenas para te agradar. Não são como nós, que às vezes fazemos coisas que não queremos apenas para agradar os outros. Que aceitamos empregos que odiamos, convivemos com pessoas que não suportamos, e vivemos vidas que não gostamos, apenas porque é cômodo ou para fazer outra pessoa feliz. Os gatos só querem ser felizes. Se você fica feliz também, é só uma consequência.

7-5
pataGatos são criaturas vaidosas e extremamente limpas. Eles passam grande parte do tempo se lambendo e limpando seus pelos. A maior felicidade para um gato é ter um amigo felino. Talvez não só pela companhia, mas principalmente pela possibilidade de ter alguém para limpar suas orelhas.

7-6
pataApesar de serem verdadeiros monges budistas quando o assunto é meditação e relaxamento, os gatos estão sempre atentos a tudo que acontece ao seu redor, e estão sempre prontos para agir a qualquer sinal de perigo ou inseto intruso adentrando o ambiente.
Eles sabem achar o equilíbrio perfeito entre relaxar e estar preparado. Enquanto nós dificilmente conseguimos fazer as duas coisas ao mesmo tempo.

7-7
pataVocê já viu um gato perseguindo um laser? Ou uma bolinha de papel alumínio pela casa? E quando uma mosca entra na sala e ele não desiste até derrubá-la?
Gatos são insistentes, perseverantes e não desistem com facilidade de seus objetivos. Eles são focados, e quando querem uma coisa, vão até o fim. E isso tem seu lado bom e seu lado ruim.
“A curiosidade matou o gato” significa o lado ruim.
Muitos gatos, em busca de seus objetivos, ficam cegos quanto aos perigos e acabam se acidentando por simplesmente não conseguirem parar. Caem de janelas altas, se enforcam em cordinhas de persiana, comem comida envenenada, etc.
E o lado bom, claro, é que eles dificilmente não alcançam seus objetivos. E são verdadeiros exemplos de como devemos ter fé e foco, acreditar, seguir em frente e ir até o fim nos nossos planos, mas, nos mantendo sempre atentos aos perigos à nossa volta.

*Lembrando que, tudo isso foi o que EU apendi com os gatos. Não necessariamente se aplica a todo mundo 🙂

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...