A cidade do Rio de janeiro está registrando muitos casos de esporotricose nos gatinhos. A doença é causada por um fungo e é contagiosa. A boa notícia é que existe tratamento gratuito na rede pública para os animais atingidos.

O surto da doença foi confirmado pela Subsecretaria de Bem-Estar Animal do Rio de Janeiro, mas esclareceu que a rede pública está preparada para atender os animais doentes.

Quem precisa do atendimento deve procurar o Instituto Municipal de Medicina Jorge Vaitsman, na Mangueira. Veterinários vão avaliar a extensão da doença e indicar o devido tratamento.

Os bichamos com a doença apresentam feridas profundas e purulentas. Outros sintomas também atingem os gatinhos doentes: perda de apetite, apatia, emagrecimento, espirros e secreção nasal. 
Nos humanos, que também podem ser acometidos, a manifestação começa com um pequeno caroço vermelho na pele.

A esporotricose se manifesta em forma de feridas na pele que nunca cicatrizam, mas fazendo o tratamento correto, com medicamento por mais ou menos 6 meses e acompanhamento veterinário, o gatinho fica livre da doença! Vale salientar que o tratamento pode variar de caso a caso. O importante é saber que apesar de grave, é uma doença que tem cura!

Atualmente, nós do Cat Club estamos cuidando da Valentina, uma gatinha que veio parar na garagem da nossa casa! Nós a resgatamos e enquanto tentávamos achar uma casa super legal para ela, um machucadinho surgiu no focinho e descobrimos que era a esporotricose!

 Facebook Cat Club

Mesmo com a Manuela grávida, mesmo com todos os nossos gatinhos e cachorros, não desistimos de mudar a vida da Valentina para melhor. Procuramos o veterinário e iniciamos o tratamento, que está dando super certo! Logo, logo, a Valentina estará 100% saudável e disponível para a adoção! Ela não é linda?? 🙂

Por isso pessoal, a melhor forma de vencermos a esporotricose é com mais informação e menos preconceito! Vamos ajudar a espalhar boas notícias?

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...