Mudar de residência quando se têm gatos não é uma experiência muito tranquila. Os felinos são naturalmente mais sensíveis às mudanças no seu ambiente – até mesmo um cômodo redecorado, um novo sofá ou uma árvore de Natal podem causar desconforto. Imagina então como uma mudança de casa pode afetar nossos filhotinhos!

A mudança de residência pode ser bem menos estressante se o dono do gato levar em conta a sensibilidade de seu animal e procurar promover o bem estar para ele, fazendo com que a sensação da mudança e a acomodação sejam gradativas.

Vamos compartilhar com vocês algumas que pode ajudá-lo a evitar que o seu gatinho reaja agressivamente durante esse período. Fica ligado!


Preparando o gatinho para a mudança:

 

  • Deixe o bichinho confinado em um dos quartos da antiga casa enquanto realiza o empacotamento e retirada de objetos;
  • Não deixe de dar atenção ao gato durante o período que ele permanecer confinado;
  • Não compre cama, brinquedos, comedouro, bebedouro ou caixa de areia novos para o gato durante o período de mudança;
  • Não vacine seu gato menos de 10 dias antes da mudança para evitar que o estresse se reflita em doenças ou somatização;
  • Não troque a ração do animal e diminua as quantidades para que quando chegue à nova casa tenha apetite e não faça greve de fome;
  • Faça com que o gato seja o último a deixar a antiga casa levando-o consigo em uma caixa de transporte.

Adaptando o gatinho na casa nova:

A harmonia entre o felino e a nova casa não deve ser esperada como imediata, em hipótese alguma exija isso do seu gatinho! Portanto, para que a adequação dele ocorra de forma tranquila e não demore muito, é muito importante preparar o ambiente previamente e controlar o máximo possível as circunstâncias da mudança:

  • Em um quarto tranquilo da nova casa, já com os móveis no lugar, coloque as coisas antigas do gato: brinquedos, arranhadores, cama, vasilhas de comida e água e caixa higiênica, dispondo este último item em um canto oposto aos demais;
  • Inclua no ambiente objetos da casa antiga e, se julgar necessário, use aerossóis ou difusores elétricos com feromônios sintéticos antiestresse;
  • Procure levar o gatinho para a nova casa em um dia em que você possa ficar junto dele ou num momento em que tenha alguém conhecido dele que possa ficar por perto;
  • Mesmo com o gato tendo saído da caixa de transporte não a retire de imediato do local – se por alguma razão ele se sentir inseguro, a caixa de transporte será o seu refúgio;
  • Continue brincando conversando com ele como de costume;
  • Observe se o bichano, come, bebe água, urina e evacua normalmente;
  • Libere gradativamente o acesso ao resto da nova casa, controlando espaços e quantidade de horas por dia;
  • Se o animal ficar estressado quando conhecer o resto da casa, confine-o novamente e retome a liberação gradativa;
  • Fique atento para que ele não tenha acesso à rua e tente fugir na tentativa de voltar para a antiga casa.

 

Ter muita paciência e dedicação na hora de seguir as dicas acima, garante uma mudança de casa sem traumas para o gato, como também para o dono.  🙂

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...