“Um gato vai subir no seu colo quando você estiver tentando se levantar da sua cadeira. Até o último momento, ele acredita que você vai criar consciência e se sentar novamente.”

Essa frase explica muito bem a natureza intensa dos gatos.

Mas há um motivo pelo qual esses animais, sabendo o quão são perfeitos, se comportam assim.

Encontramos fatos sobre os bichanos que vão surpreendê-lo e mostrar que a vida sem eles seria muito chata.

Confira!

1. O miado do gato não tem significado

Gatos não têm um idioma. Às vezes, parece que um miado realmente significa algo, mas, na verdade, eles usam o som para chamar a atenção.

No início de suas vidas, os miados têm significado. Eles servem para que os filhotes chamem suas mães.

Gatos adultos selvagens nunca usam esse som.

Os gatos domésticos descobriram que o miado funciona não apenas com suas mães, mas com seus donos.

Depois, perceberam que se mudarem o tom do miado, podem conseguir objetivos diferentes e até manipular com sucesso as pessoas ao redor.

OBS: Gatos domésticos nunca miam quando se comunicam entre eles.

Se você é uma dessas pessoas que amam responder miando ao gato para ver a reação do bichano, saiba que está apenas fazendo com que o gato preste atenção em você.

Agora, ele está confuso, pensando se ouviu algo errado ou se você realmente precisa da ajuda dele.

2. Gatos enxergam melhor de perto

Na revista Pop Science, o artista Nickolay Lamm apresenta seu estudo sobre como os gatos enxergam o mundo.

O campo de visão deles é mais amplo que o dos humanos e eles podem enxergar perfeitamente no escuro. Porém, por causa disso, eles não enxergam as cores com a saturação que realmente têm.

Outro sacrifício que os gatos têm de fazer é mudar o foco de perto para longe.

Por isso que os animais selvagens geralmente enxergam melhor de longe – eles precisam caçar, e os animais domésticos enxergam melhor de perto, mas não completamente: eles não conseguem focar em objetos que estão bem na frente deles.

Veja abaixo a mesma foto como os humanos a enxergam (foto de cima) e como os gatos a enxergam (foto de baixo).

3. Gatos não têm hábitos diurnos e noturnos

Gatos domésticos não têm horários: vivem 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Para eles, não há noite. Eles dormem quando querem.

Então, se o seu gato decide do nada que está na hora de uma aventura noturna, não é porque ele é um animal da noite ou seus horários estão trocados.

Ele simplesmente quer fazer isso.

4. Gatos domésticos vieram desse felino selvagem

Aqui está ele: Felis Silvestris Lybica ou gato selvagem.

É a raça derivada de gatos que viveram em desertos, perto da água, e nas montanhas por 130 mil anos.

Porém, 10 mil anos atrás, cerca de cinco gatos selvagens foram domesticados no leste, o que originou a domesticação geral do bichano.

5. Gatos têm seu próprio sistema de idade

A média de expectativa de vida de gatos domésticos é de 14 anos. Gatos de rua não vivem mais que dois anos.

Entretanto, há gatos que vivem muito mais.

Por exemplo, um gato chamado de Creme Puff está no Guiness World Records porque viveu por 38 anos!

Dá para acreditar?

Para comparar as vidas de humanos e gatos, veja a tabela abaixo:

A média de expectativa de vida de gatos domésticos é de 14 anos. Gatos de rua não vivem mais que dois anos.

Entretanto, há gatos que vivem muito mais.

Por exemplo, um gato chamado de Creme Puff está no Guiness World Records porque viveu por 38 anos!

Dá para acreditar?

Para comparar as vidas de humanos e gatos, veja a tabela abaixo:

6. Gatos pedem aos donos para abrirem portas para eles e não a atravessam de propósito

Você sabe por que os gatos pedem para abrir as portas e não entram? Porque eles não precisam entrar, eles só querem controlar o território.

Se a porta está fechada, significa que há algo desconhecido por trás dela, provavelmente o perigo rondando.

E, se a porta está aberta, tudo fica visível, então ele pode ficar no mesmo lugar e ver o que acontece.

“Obrigado, humano, por abrir a porta. Agora, volte ao seu lugar.”

7. Gatos participaram das guerras

Gatos persas ganham um prêmio especial por terem sido usados de uma maneira interessante durante a guerra.

Eles eram usados como escudos durante a guerra com o antigo Egito.

Egípcios consideravam gatos animais sagrados e não podiam machucá-los. Por isso, não os atacavam.

Gatos também foram usados para checar a qualidade do ar.

Por exemplo, eles sabiam que um ataque de gás estava prestes a acontecer e avisavam os soldados.

O trabalho mais importante dos felinos era, no entanto, o apoio psicológico aos soldados.

Essas criaturinhas peludas faziam com que os soldados se lembrassem de casa e aumenta a esperança de que voltariam às suas famílias.

8. Gatos precisam cheirar a comida por muito tempo antes de se recusarem a comê-la

Aqui está uma situação que muitos donos de gato conhecem: um gato cheirando a comida tentando decidir se a quer ou não.

Mesmo se a comida for saborosa. Mesmo se ele estiver morto de fome.

Por um lado, parece que esses animais são exigentes demais, mas não é verdade.

Gatos não conseguem enxergar o que está bem em frente deles, por isso ficam cheirando e checando se a comida não é outra coisa e, também, tentam descobrir a temperatura.

9. Gatos sonham

Você já viu alguém mexer os olhos, falar e gesticular enquanto dorme?

Se medirmos a atividade cerebral de alguém dormindo, veremos que o órgão está funcionando ativamente. O mesmo acontece com os gatos.

Os gatos movem os bigodes, orelhas e podem emitir sons enquanto dormem.

10. Gatos amassam as coisas com as patas por um motivo

Provavelmente, você já deve ter notado gatos massageando pessoas, outros gatos, tapetes, almofadas, etc.

Acontece que esse ato é um reflexo que os gatos têm de suas infâncias. Eles massageavam a barriga de suas mães para estimular o leite.

Quando crescem, ainda fazem isso quando se sentem seguros e confortáveis.

Então, se seu gato massageia você com as patas, é porque ele o ama! Se massageia seu cobertor, ele ama o cobertor.

11. E o mais importante: como os gatos vêem as pessoas

Um livro escrito por um famoso pesquisador do comportamento felino, John Bradshaw, chamado “Cat Sense”, respondeu a pergunta que realmente interessa a muitas pessoas: “o que os gatos realmente pensam sobre as pessoas?”

A verdade é que os gatos tratam as pessoas como algo entre uma mãe de aluguel e um gato grande.

Mais do que isso, eles acham que os humanos são gatos burros, porque nos comportamos de maneira ilógica.

Não caçamos durante o dia, os incomodamos sem qualquer motivo e somos facilmente manipuláveis. Então, somos do tipo grandão, carinhoso, bobão e maternais.

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...