Quem nunca passou em frente a um petshop e ficou com o coração partido ao ver aquele monte de cachorrinho, gatinho ou passarinho completamente exausto dentro de uma gaiola minúscula e desconfortável? Sem falar das lojas que vendem aves, coelhos e pequenos animais, com suas gaiolas superlotadas e imundas, comercializando vidas como se fossem mercadorias baratas. O comércio de animais divide opiniões por aí, há quem defenda e quem condene, mas agora não é mais uma questão de opinião: Está proibido em todo o território nacional, desde o dia 15/01/15 a exposição e venda de animais em gaiolas e vitrines. De acordo com a legislação, os animais precisam ficar em ambientes silenciosos e bem iluminados, com espaço adequado e confortável para cada tipo de animal, e com acesso restrito ao público. Ou seja, não poderão mais ser expostos em vitrines ou em ambientes com circulação de pessoas, o que causa um estresse enorme aos animais. Também será necessário que os estabelecimentos contem com um veterinário responsável no local, para diariamente inspecionar e assegurar a higiene, saúde e bem estar dos animais. Os Veterinários responsáveis que descumprirem as regras que garantam o conforto desses animais devem responder processo ético do Conselho Nacional de Medicina Veterinária. A nova norma prevê também que animais com alteração comportamental decorrente de estresse sejam retirados de exposição, mantidos em local tranquilo e adequado, sem contato com o público, até que retorne ao estado de normalidade. Caso você encontre algum estabelecimento que não esteja seguindo a lei, DENUNCIE ao Conselho Regional da sua região! Vidas inocentes dependem de uma simples atitude, a arma de todo cidadão: a denúncia! Clique aqui para ler a Resolução n. – 1.069, DE 27 DE OUTUBRO DE 2014. Fonte: www.jusbrasil.com.brbannerBlog

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...