Faye Richard, da cidade de Withywood, em Bristol, no Reino Unido, ficou surpresa com o que encontrou na porta em frente à sua casa. A princípio ela acreditava ter recebido uma pilha de algum tipo de fita adesiva, mas só quando se aproximou, percebeu que o objeto não identificado era na realidade um animal coberto de concreto. Quem teria a coragem de fazer uma maldade dessas? Ou será que foi o bichano que se aventurou em uma obra?

“O cimento estava começando a endurecer por todos os lados, principalmente nas suas costas. Porém, sua barriga ainda estava molhada”, comentou a mãe de duas crianças em matéria do Daily Mail. Ela também conta que o gato mal conseguia abrir os olhos. Sem dúvidas, uma situação que provocaria o sentimento de dó em qualquer ser humano.

ci2

Na maioria das vezes, um gato costuma estranhar qualquer pessoa que não conheça, porém este não teve muito como escapar aos braços de Richards. Ao ver o sofrimento do animal, ela conta que imediatamente o carregou até a clínica veterinária mais próxima de sua casa. “Ele estava chorando muito e seu rosto estava absolutamente sólido”, completou.

Um dos primeiros procedimentos que foram realizados no pequeno felino foi tosar todo o seu pelo, já que o endurecimento dele estaria causando dor e o impossibilitando de respirar corretamente. Além disso, os veterinários se apressaram em limpar os olhos do bicho e verificar se tudo estava bem com o seu pulmão, já que seria possível ele ter inspirado poeira de concreto.

ci3

Agora quase recuperado, Tom, como foi apelidado, continua na clínica em que foi socorrido, à espera de seus donos. O gato tem microchip de identificação que provavelmente levará a pessoa que cuida dele aonde ele está.

“Não quero pensar que uma coisa dessas foi feita intencionalmente, mas realmente escuta-se a respeito”, disse a salvadora. “Eu só espero que tudo fique bem com ele”.

ci1

Via: Yahoo

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...
  • Michel

    Ao mesmo tempo que não dá vontade de viver nesse mundo mais, florence uma esperança que tem muita gente que quer fazer diferente. Essa é a senção que essa reportagem me passa.