O título diz tudo: “Calamidade Felina na Síria: A guerra é o inferno para animais de estimação também.” Por causa da guerra, a Síria está cheia de cães e gatos deixados por moradores que fugiram, deixando seus pets para trás. Em meio a estas cenas de desolação, algumas almas bondosas estão fazendo o seu melhor para ajudar o maior número de animais famintos e necessitados que puderem.

A história foi publicada na revista Newsweek pela jornalista Rachel Nuwer. “Todas as manhãs, Mohammad Alaa Aljaleel dirige para o açougue local e compra $ 2,50 de restos de carne. Em dias bons, o dono do açougue dá algum desconto ou até mesmo dá alguns ossos ou restos grátis. Junto com todos os outros nesta parte de Aleppo, na Síria, o açougueiro sabe que Aljaleel não está comprando a carne para si mas para os 150 gatos abandonados.

O ex-eletricista se tornou o zelador oficial felino de sua cidade natal, de acordo com o  Nuwer. Pouco depois da guerra civil síria estourar em 2011, Aljaleel teve a oportunidade de ir para a Turquia com sua esposa e família. Em vez disso ele optou por ficar para trás para ajudar os animais de estimação e pessoas. “Eu considero animais e seres humanos da mesma forma”, diz ele. “Todos eles sofrem de dor, e todos eles merecem compaixão.”

Ele notou pela primeira vez alguns gatos ao redor dos escombros de uma casa destruída por um ataque aéreo e decidiu que tinha que alimentá-los. “Logo, cinco animais se transformou em 10, então 20. Gatos sempre descobrem onde há comida, até que a colônia chegou a 150 animais.” estima.
Trinta dos gatos agora têm nomes, incluindo o seu favorito, o Zorro Noble. 

sy2
syria sy3 

 

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...
  • Dalila

    Para mais pessoas assim no mundo!