Você foi morar sozinho (a), saiu da casa dos pais, se viu em um apartamento vazio e solitário e sentiu falta de ter alguém pra dividir as pequenas coisas do dia a dia, né?

Aí você olhou no Facebook, e viu alguns amigos compartilhando gatinhos pra adoção, e se lembrou de que sempre quis ter um, mas seu irmão mais novo tinha alergia e sua mãe nunca deixou.
Mas agora nenhum dos dois está mais lá e…tcharã! Você se sente pronto para adotar um gatinho.

Mas, você não faz a menor ideia de onde começar, né? Não sabe nem o que um gato come, onde dorme, o que precisa…Mas não se preocupe, porque é exatamente por isso que esse guia existe 🙂
Vamos começar?

Untitled-1

1- O SEXO
Essa decisão vai depender do seu gosto pessoal, da sua afinidade, ou do fator “amor à primeira vista“, quando for escolher seu novo amigo. Dizem que os machos são mais brincalhões, mais engraçados, mais carinhosos, até. E que as fêmeas são mais reservadas, quietas…E posso falar por experiência própria: nada disso faz sentido! Gatos são como pessoas, cada um tem a sua personalidade e não é o sexo que define como vão se comportar. Então, vai realmente da sua vontade e de como seu coração vai bater mais forte quando encontrar O escolhido.

2- A IDADE
Se você não tem nenhuma experiência anterior com gatos, nossa sugestão é: adote um filhote. Porque assim ele poderá se adaptar e seguir a sua rotina, e lógico, você vai poder acompanhar a infância dele, que é uma coisa linda e divertida de se ver.
Gatos adultos também são ótimos companheiros. Indo à abrigos ou ONGS adotar um gatinho adulto, você pode encontrar um já com a personalidade que deseja e que se enquadre bem à sua rotina. Então, se você não faz questão de acompanhar a infância, saiba que um gato adulto também é uma boa escolha, já que já está criado e não exige atenção redobrada como um filhote.

3- A QUANTIDADE
Sempre digo: se você pode, adota dois. Gatos gostam de companhia, e se você for o tipo de pessoa que passa mais tempo na rua do que em casa, ter dois gatinhos, um para fazer companhia ao outro, é uma bela escolha!
Dessa forma, seus gatinhos estarão sempre entretidos, terão um amigo pra brincar nos momentos da sua ausência, e poderão dormir juntinhos pra se aquecer no inverno.
Além, claro, de conseguirem manter as orelhas sempre limpinhas, por ter um amigo pra lamber! (Já imaginou? Gatos não conseguem lamber as próprias orelhas!)
Além do mais, os gastos são parecidos, uma vez comprado o kit de sobrevivência (verão em breve), os gastos de manutenção não são altos.
Mas pense: Serão duas vacinas, duas castrações, dois remédios de verme, de pulga, etc…Mas, nada assustador!
Porém, se por algum motivo você acha que ainda não está pronto para o desafio em dobro, adote um e faça o teste…quem sabe depois de algum tempo você veja que não tem nada demais e resolva adotar mais um 🙂

2

Antes do novo integrante da família chegar, é importante que sua casa esteja adaptada e pronta para recebê-lo com segurança e conforto.
Por isso, vamos aos itens necessários:

1- TELAS NAS JANELAS
Se você mora em apartamento, tele suas janelas. Se você tiver alguma habilidade manual, você mesmo pode fazer isso, usando telas de galinheiro que são super baratinhas ou as próprias redes de nylon. Em qualquer cidade existem empresas especializadas neste serviço. Então, esse é o passo mais importante e que deixará seu gatinho seguro, evitando quedas e fugas. Se você mora em casa, precisará analisar: Os muros são altos o suficiente para que o gato não consiga pulá-lo e fugir pra rua? Se a resposta for sim, apenas estude bem o quintal, retirando objetos que possam ajudá-lo a escapar, ou plantas e objetos perigosos. Existem também muitas formas de telar os muros de casas, tornando-as ainda mais seguras e completamente anti-fuga de gatos. Como na imagem abaixo, por exemplo:

tela

O fato da tela estar inclinada pra dentro impossibilita o gato de pular.
Mas, caso você more em casa e seu quintal não é anti-fugas, então a solução é mantê-los somente dentro de casa, sem acesso ao quintal, ou somente com a sua supervisão.
Ah! E não se esqueça de telar as janelas, para que eles não escapem, ok?
Impedir que os gatos tenham acesso à rua é fundamental para garantir a eles uma vida longa, saudável e feliz. Um gato que tem acesso à rua tem muito mais chance de contrair doenças, se perder, ser envenenado ou sofrer algum acidente fatal. Por isso, crie seu gato dentro de casa.

2- AREIA, CAIXA DE AREIA, PAZINHA
Vende em qualquer petshop e você ainda pode improvisar. Muitas pessoas usam caixas de virar massa de obra, que vende em qualquer casa de material de construção, por exemplo, e que custam em média R$5.
Como estas:

caixa
Elas são uma boa opção por serem altas e grandes, o que ajuda a manter a areia dentro da caixa, quando os gatos começam a cavar.
Sobre a areia, existem dezenas de opção de areias para gatos. Todas servem e funcionam bem. Muitas prometem inclusive evitar o odor das necessidades, o que só vai realmente acontecer se você manter a caixinha sempre limpa. O ideal é retirar as necessidades sempre que o gatinho fizer, mas caso você não esteja sempre disponível, limpe pela manhã e também à noite.
Sim, seu gato VAI fazer as necessidades na caixinha, mesmo se nunca tiver visto uma antes. É o instinto!

3- RAÇÃO E ÁGUA
Existem centenas de opções de rações no mercado. Desde as mais baratas até as Super Premium, que podem custar bem caro.
Sua escolha vai depender do seu bolso, mas pense sempre que a saúde do seu gato pecisa estar em primeiro lugar, e que uma alimentação de qualidade dará a ele uma vida longa e manterá sua saúde sempre boa, o que com certeza evitará baixas na imunidade e possíveis doenças. Então, economizar na alimentação não é uma boa ideia. Um gato bem alimentado é um gato saudável.
Para ter uma ideia, baseados em nossa experiência própria e na opinião de nossos leitores, recomendamos as seguintes marcas:
Medianas: Golden
Boas: Premier, Guabi.
Muito boas: Royal Canin, ND, Hills.

Você vai observar na hora de comprar a ração que existem muitas variações, como para gatos castrados, filhotes, adultos, acima do peso, etc. Então, é bom sempre consultar um veterinário antes de escolher a alimentação do seu gato, pois ele é a melhor pessoa pra recomendar o tipo de alimentação que seu gato realmente precisa.
Deixe sempre água fresca à disposição do seu gato, e lembre-se sempre de trocá-la. Gatos são muito exigentes, e querem sempre água fresquinha. Muitos gatos também gostam de beber água corrente, como em torneiras. Por isso, existem fontes próprias para gatos, que você pode encontrar em petshops, e que podem incentivar seu gato a beber ainda mais água, o que é essencial para sua saúde.

4- PETISCOS
Existe uma variedade enorme de petiscos no mercado. Tem biscoitinho, patê, sachê…Cabe a você e ao seu veterinário decidirem se seu gatinho deve ou não consumir esse tipo de produto, que normalmente eles AMAM, e muita gente dá como agradinho de vez em quando.

5- CAMINHA OU CASINHA
Talvez você já deva ter ouvido falar da fama que as caixas de papelão têm entre os gatos. Eles amam. Mas talvez o que você não saiba é que eles nem sempre gostam do que vem dentro dela: a caminha super cara que você comprou.
Então, existem gatos e gatos. É difícil dizer se seu gato vai ou não curtir a caminha ou casinha que você quer comprar, só arriscando mesmo. Normalmente, gatos gostam de dormir em cantinhos específicos da casa, que eles mesmos escolhem, como o sofá da sala, a cama, a cadeira da cozinha, a cuba da pia do banheiro…Às vezes qualquer uma dessas opções acaba sendo mais confortável que uma caminha super bonitinha. Vai entender, né?
Mas gatos costumam gostar de lugares escurinhos, como tocas. Então a chance dele curtir uma casinha estilo toquinha, onde ele consiga se sentir protegido é bem maior.

6- BRINQUEDOS
Gatos também são humildes quando se trata de brinquedos. Nem sempre o mais caro vai entretê-los.
Normalmente os que fazem mais sucesso são os com fitinhas, cordinhas, elásticos e coisinhas balançantes. Ratinhos com catnip de feltro também fazem muito sucesso, por grudarem nas unhas deles, e eles precisarem se movimentar pra soltar. Outra opção muito boa é o laser. Gatos adoram perseguir a bolinha vermelha impossível de ser capturada e podem passar horas se divertindo. Túneis e arranhadores também podem render horas de diversão entre os felinos.
É muito importante verificar se o brinquedo exige supervisão durante a brincadeira. Muitos brinquedos, como por exemplo os que tem cordinhas ou fitas podem causar acidentes. Por isso é sempre bom verificar o risco e supervisionar a brincadeira.

7- COLEIRA COM IDENTIFICAÇÃO
É muito importante identificar seu gatinho com o seu telefone, para caso ele se perca.
Existem muitos tipos de coleira no mercado, mas as mais indicadas e seguras são as de elástico e as com fecho seguro, que abrem facilmente caso o gato prenda a coleira acidentalmente em algum lugar, evitando que se enforquem.
As plaquinhas podem ser compradas em qualquer petshops, que costumam gravar na hora o nome e telefone. Na internet você também pode encontrar lojas virtuais que oferecem o serviço.

3

1- TESTE DE FIV E FELV
Na verdade, este teste é opcional, e é bem raro um veterinário sugerir. Mas fizemos um post aqui no blog sobre a FIV e a FELV, duas doenças terríveis, mas que podem ser detectadas através de um simples teste usando o sangue do gato. Caso você tenha condição, faça o teste. Sabendo desde o início se seu gato é ou não portador de um dos vírus, é bem mais fácil evitar que a doença se desenvolva realmente.

2- VACINAS
Você precisa vacinar anualmente seu gato com a quádrupla ou a quíntupla. Converse com seu veterinário sobre as vantagens de cada uma delas.
Para gatos filhotes, o veterinário também indicará o protocolo a ser seguido, como a quantidade de doses necessárias na primeira vacinação. Anualmente, vacina-se também contra a Raiva, que normalmente é aplicada junto à última dose da quádrupla/ quíntupla em filhotes, ou junto da dose única anual.

3- CASTRAÇÃO
Quando seu gato completar 6 meses, já é hora de castrá-lo! A cirurgia de castração é super simples e segura, e só trará benefícios para seu gatinho.
Além de deixá-lo mais calmo, a castração ainda previne diversas doenças, como câncer de mama, útero e testículo. Por isso, castrar é sempre a melhor opção para o bem estar do seu gatinho.

4- HIGIENE
Gatos de pêlos curtos dificilmente precisam tomar banho. Alguns se acostumam fácil e até gostam, mas outros têm total aversão à água, o que acaba dificultando essa prática.
Como eles mesmos já fazem a maior parte do trabalho, com seus famosos banhos de língua, o banho só se faz realmente necessário caso o gato se suje muito, tenha contato com terra, lixo, etc. Gatos de pelos longos precisam ser escovados diariamente, para evitar que os pelos embolem, e algumas pessoas optam por tosar seus gatos no verão, conforme contamos neste post.
O corte de unhas também é fundamental, tanto para a saúde dos seus móveis quanto do seu gato. Gatos com unhas muito compridas podem se machucar, ficando presos ou enroscados em objetos. Com isso, as unhas podem lascar, se dividindo, o que pode machucá-los.
Cortar as unhas não é muito difícil, desde que você acostume seu gato desde filhote. Peça ajuda a um veterinário para te ensinar na primeira vez, e veja se consegue fazer sozinho. Fique atento, pois as unhas dos gatos são muito delicadas e há um limite até onde você pode cortá-las sem machucar.
Fora isso, é importante manter os ouvidos sempre limpos e a área dos olhos também, já que alguns gatos podem lacrimejar excessivamente.

5- VERMIFUGAÇÃO
É preciso conversar com seu veterinário sobre vermifugar seu gato. Ele indicará o melhor remédio de verme, a dosagem e a frequência com que você deve administrá-lo.
Normalmente, vermifuga-se de 6 em 6 meses, e existem remédios em comprimido, líquido e até em pipeta (um líquidozinho que você espalha no dorso do animal), para gatos difíceis de medicar.
Caso seu gato esteja com pulgas, pergunte também ao veterinário qual a melhor opção. Existem vários tipos de remédios para combatê-las, como sprays, pipetas e até comprimidos.

6- CHECK-UP
Assim como qualquer ser humano, com os gatos a lógica é a mesma: é sempre melhor prevenir do que remediar. Então, se você puder, leve seu gato para fazer um check up anual com um veterinário de confiança, para checar se tudo está OK com sua saúde.
Muitas doenças podem ser prevenidas ou tratadas com mais eficácia se detectadas no início.

Quem ama, cuida!

Pronto! Agora sim tá na hora de adotar um gatinho.
Mas, onde você vai encontrar um?
Bom…que tal dar uma olhada na sua vizinhança, quem sabe tenha algum na rua precisando exatamente de um lar?
Você pode também procurar ONGS e abrigos da sua cidade, clicando aqui você encontra uma lista de ONGS em todo o Brasil. Procurar no Facebook também é uma opção, grupos de adoção e compartilhamentos de gatinhos resgatados aguardando um lar são bastante comuns.
E aí, tá esperando o que? 🙂

E lembre-se sempre: Um gato, assim como qualquer outro animal de estimação, é como um filho! Você precisará dedicar parte da sua vida e do seu orçamento à ele. Então, se tomar essa decisão, esteja certo e com o coração aberto. E claro: disposto a dar a ele a melhor vida que ele poderia ter, com o principal disso tudo: amor.

*O Veterinário é o melhor amigo do seu gato! Nunca medique seu animal sem antes consultar um profissional.

Camisas de gatinho é no CAT CLUB

TShirtCrazy TShirtGatoPreto TShirtMelhorMae

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...
  • Rebecca Bittencourt

    Ótimo post, super informativo e bem útil pra quem está perdido com o novo gatinho ou ainda não sabe de tudo que será preciso quando adotar!

    Ah, e minha sugestão é colocar também a Catland nas ONGS de São Paulo Capital ^^

    :*

  • Rayssa Rocha

    Olá, adotei uma gatinha com quase dois meses, ela não está se adaptando, acho que sente falta da mãe e dos irmãos, só quer saber de dormir, e só dorme na minha cama encima do meu cobertor, ela gosta muito de carinho, mas as vzes se isola, está muito tristinha, brincar não quer de jeito nenhum, nem comer, ontem ela comeu um pouco, pq comprei um sache, mas hj já voltou a não comer. Bebe muita água, pelo menos. Já levei no vet e ela não tem nada de doença… não sei mais o que fazer, tem dois dias que não desgrudo dela pra ver se melhora e nada…

    • Ana Isabel

      Bom dia!
      Isso aconteceu o mesmo com o do meu namorado mas penso que seja normal, essa fase eles so querem e precisam dormir para crescer, comia o que tinha vontade e levava o resto do dia a dormir. So começou a brincar mais aos 4 meses, e hoje em dia já com 1 ano é o mais engraçado e carinhoso!! Pode ser que ela não seja muito de brincar, mas mais preguiçosa eheh, o meu namorado também tem uma que é assim, não quer saber de brincar, so quer dormir e carinhos. Tudo vai melhorar! Com calma 🙂