As agentes penitenciárias de um presídio em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, resolveram unir a gatoterapia, ao controle de população dos gatos de rua que rondavam o complexo sem recorrer a eutanásia. Elas chegaram à conclusão de que a presença dos gatos pode ajudar na ressocialização dos presos e é ainda vantajosa para o controle de roedores.

Foram contabilizados cerca de 150 gatos que passeavam pelo presídio e o projeto, em parceria com o Centro de Controle de Zoonoses e a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário, visa castrar, vacinar, vermifugar e identificar os gatos tratados com chips.

Os presos receberam os bichinhos com carinho, um deles ganhou até casinha com coração e tudo:

presidio 1

E ficam lá de boa, tomando sol pelo complexo:

presidio 3

Vimos no G1

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...