Só quem já ficou internado em um hospital ou mesmo viu um familiar ou amigo passar pela experiência, sabe o quanto é tedioso e solitário. A comida é ruim, não tem ninguém pra conversar… Além da dor e desconforto, a saudade de casa, o efeito psicológico de se estar em uma cama de hospital colabora muito com o impacto da doença. É aí que entra a gatoterapia! Quem disse que “rir é o melhor remédio” não conhece este tratamento revoluciocat!

“Duke Ellington” Morris (isso mesmo, nome e sobrenome, chique né?), o gato terapêutico, leva alegria e amor para doentes em estado crítico que estão na UTI. É querido por todos, desde pacientes até o staff do hospital. Ninguém resiste, todo mundo quer fazer um cafuné.

O pelo fofinho e o ronron são melhor que muito calmante e analgésico. <3


 

 

 

Assista ao vídeo da visita publicado na página do hospital:

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...