Paródia felina da música Garota de Ipanema, do Tom Jobim.

pelodourado

Original: http://letras.mus.br/tom-jobim/20018/

bannerBlog

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...
  • Daiane Cristina Chiumento

    Boa tarde!
    Bom para começar sou uma gateira de primeira =)
    Sempre gostei de animais, independente de de raça, cor, tamanho, espécie, etc… Admiro todos, desde um mamífero como as baleias que são esplendidas, até as cobras, lagartixas, formiguinhas e por ai vai. Tenho só problemas com baratas rsrsrs
    Mas venho até aqui para contar um pouco de minha história. Desde de pequena tenho contato com animais, e sempre fui ensinada a amar e respeitá-los e assim o faço até os dias de hoje. Lógico que com o passar do tempo, amadurecemos e vemos que existem grandes problemas a serem enfrentados, problemas esses que precisam de pessoas com garra, perseverança e muito amor. Hoje tenho 24 anos de idade, tenho dois gatos, Dean e Samy que amo mais que tudo, ambos resgatados da rua. Dean foi abandonado pelo dono ainda pequeno próximo a minha casa em cima de um muro do qual não conseguia descer e a Samy foi abandonada na rua perto de minha casa um pouco maiorzinha. No dia em que vi a Samy pela primeira vez, passei por ela e acariciei sua cabecinha, como era muito mansa pensei ser de alguém das redondezas, mas no dia seguinte, chegando em casa tarde da noite, lá estava ela em minha casa, miando meio assustada, peguei ração e tentei me aproximar, ela exitou no início e correu mas a fome devia ser tão grande que acabou cedendo. Por ali ela ficou e a gente foi se apegando o tempo passando. Logo mandei castrá-los para evitar crias indesejadas logo que se tratava de um memino e uma menina. Os dois são minhas paixões, cada um com sua personalidade e suas arteirices, mas os amo incondicionalmente. O Dean é super inteligente, meu noivo o ensinou a buscar um ratinho de brinquedo e traze-lo na boca para ser jogado novamente, ele faz a festa buscando esse ratinho, faz seis meses que estamos com o Dean, ele está crescendo e cada dia mais lindo. Jean (meu noivo) também o ensinou abrir a porta do quarto, o que não foi uma boa ideia logo que, moramos provisoriamente com meus sogros enquanto construímos a nossa casa, e minha sogra não tem a tanta paciência com as marquinhas de patinhas cheias de barro em dias de chuva, então o espaço deles se restringem em 4 paredes, a do nosso quarto, onde nesse espaço, eles são os donos do pedaço, então para evitarmos maiores transtornos temos que chavear a porta para ele não sair rsrs. A Samy tem problemas com pessoas estranhas, não sei pelo o que ela passou, mas quando chega alguém diferente ela se esconde embaixo da cama e não sai dali enquanto a pessoa não vai embora. Pra mim um mistério e continuara sendo. Mas venho até aqui por uma coisa mais especial. Moro em frente a um bosque e nesse bosque existem moradores muito especiais, gatinhos abandonados, desde filhotes e adultos, meu coração parte ao vê-los e não pude deixar de fazer algo por eles, então estou os alimentando diariamente. Comprei ração e estou dando para tentar amenizar o sofrimento deles, pois por fome eles acabando mexendo em lixo e a maioria das pessoas não param para analisar o lado deles e a minha maior preocupação é a procriação, o aumento deles logo que não são castrados, então queria ajuda com dicas, conselhos, quero aos poucos ir ganhando a confiança deles para conseguir pegá-los e castrá-los. Mas como conseguirei? Eles são muito ariscos, quando me veem correm e esperam de longe eu sair para irem se alimentar. Até hoje contei uns 6 ou 7, não sei se há ninhadas. Aguardo =)