Em um primeiro momento os humanos em teste se mostraram receosos e até preconceituosos ao compará-los com cachorros e achar que todos, sem exceção, são destruidores:

“Eu amo cachorros e gatos não são cachorros”

“Eles destroem tudo, não amam você de verdade”

Em pouco tempo, os humanos foram amaciando e re revelando mais abertos ao convívio:

“Estou disposta a tentar”

Quando o novo morador chegou na casa nova, os humanos perceberam que gatos são desconfiados por terem um medo inicial:

“E ela foi direto para baixo do sofá”

Mas que depois que ele descobre que você é do bem, tudo fica mais fácil:

“Me fiz de difícil e agora ela quer ficar comigo”

E as constatações óbvias (que já nem incomodam mais os gateiros fiéis):

“Tem pêlos na minha roupa”

Aos poucos, foram surgindo descobertas interessantes, como a energia de gatos filhotes:

“Ele é um gato bebê. Gatos bebês são insanos e eu não fazia ideia”

Finalmente, o resultado foi da experiência foi muito positivo:

“Depois de uma semana, estou apaixonada por essa rapazinho”

“Quando dizem que você não gosta de gatos até que você ter um gato, estão mesmo falando a verdade”

“Eu odeio admitir, mas sim, eu me apaixonei de verdade por ele”

E um dos casais até decidiu ficar com o gatinho:

“Nós vamos adotá-lo”

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...