Gatos são animais com características muito próprias. Sem contar com a personalidade única, o jeito independente e a mania de limpeza, eles possuem particularidades que podem se tornar perigosas quando não conhecidas.

Uma delas é a sensibilidade a um grande número de medicamentos que, para muitos, podem parecer inofensivos. A intoxicação medicamentosa é uma ocorrência muito comum nos atendimentos de emergência e, na maioria das vezes, acontecem pelo uso indevido de medicamentos sem que o médico veterinário tenha sido consultado.

Doente

O excesso de propaganda de medicamentos para pets e a falta de fiscalização nos estabelecimentos que vendem produtos veterinários colaboram bastante para que isso aconteça.

Em geral, os proprietário costumam tentar resolver o problema por conta própria ou por falta de recursos financeiros ou pela ausência de uma clínica veterinária próxima de casa. Qualquer que seja a razão, na maior parte das vezes, o que era um pequeno problema facilmente contornável, passa a ser um problemão com graves consequências para o animal. Os gatos muitas vezes não resistem e vêm a óbito.

Doente 2

Qual é a explicação?

Os gatos apresentam peculiaridades no metabolismo hepático.

Seu metabolismo é bastante diferente do metabolismo dos humanos e dos cães e, por isso, os fármacos demoram mais tempo para serem metabolizados e acabam ficando em circulação no organismo. Tal acúmulo pode causar sérios danos ao fígado e outros órgãos.

Os gatos são mais suscetíveis à oxidação da proteína das hemácias que ajuda no transporte de oxigênio, a hemoglobina. Esta oxidação excessiva leva à hipóxia e hemólise. Neste quadro, os gatos podem apresentar língua arroxeada, respiração ofegante e podem morrer em pouco tempo.

Doente 3

E já que a informação é sempre o melhor caminho, aí vai uma lista de alguns dos principais medicamentos que podem causar intoxicação em felinos e, portanto, não são recomendados para a espécie:

1-AINES: Ibuprofeno (Motrin®, Alivium®, Advil®, Buscofen®); Fenilbutazona (Mioflex®); Ácido Mefenâmico (Ponstan®); Naproxeno (Flanax®), Diclofenaco (Cataflan®; Voltaren®) ; Paracetamol/Acetaminofen-fenacitina (Tylenol®, Dôrico®, Buscopan Plus®)

2-Benzocaína (Cepacaína®, Colubiazol Spray®, Crema 6A®)

3-Benzoato de benzila (Acarsan®)

4-Organofosforados (muitos nomes comuns- presentes em algumas coleiras anti-pulgas)

5-Enemas à base de fosfato (Fleet Enema®)

6-Anti-sépticos e analgésicos das vias urinárias: Azul de metileno (Sepurin®, Mictasol®); Fenazopiridina (Pyridium®, Urotril®)

7-Progestágenos sintéticos: Acetato de megestrol e a medroxiprogesteron

8-Antineoplásicos (Cisplatina e Fluoruracila)

Jamais medique seu gatinho por conta própria! Existem outros diversos medicamentos capazes de provocar reações adversas nos gatos e que, portanto, devem ser administrados com muita cautela, sempre de acordo com as recomendações do médico veterinário.

Avalie essa notícia:

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Loading...